ATRAÇÕES E ESPETÁCULOS

Fina - Projeto Teatro Nômade (Rio de Janeiro - RJ)

28/03, domingo, às 14h

duração: 25 min

Link para a atração: 

YOUTUBE

RESUMO DO PROJETO

O Projeto Teatro Nômade é uma iniciativa artístico-educativa voluntária que oferece gratuitamente aulas de teatro e contação de histórias para estudantes das redes públicas de ensino e circula com montagens das turmas por praças, bibliotecas e escolas públicas. Criado em 2016 pelas professoras Lorrana Mousinho e Luísa Reis, a equipe hoje é composta também por Ana Clara Salles, Ingrid Peixoto, Leo Medeiros, Luisa Miranda, Nino Lorenzo, Roberta Bacellar e Victor Menescal, ex-alunos do Nômade.

 

CONCEPÇÃO DE DIREÇÃO E/OU ENCENAÇÃO DO FINA:

A concepção de direção busca unir as nuances e expressividades do trabalho dos atores e atrizes em diálogo com o Teatro de Sombras, a fim de avivar os sentidos lúdicos e poéticos já presentes no texto de Karen Acioly, ressaltando a potência do teatro como linguagem imagética.

 

FICHA TÉCNICA

 

Baseado em

Fina, de Karen Acioly

 

Adaptação - Nino Lorenzo

Direção - Bruno Paiva

Edição e finalização - Anna Clara Miranda

 

Elenco - Jaqueline Cruz, Leo Medeiros, Luisa Miranda e Nino Lorenzo

 

Figurinos - Luisa Miranda

Assistente de figurinos - Anna Clara Miranda

 

Trilha original - Grupo Nômade Musical (Daniel Melgar, Gabriel Alencar e Roberta Bacellar)

 

Idealização e produção - Projeto Teatro Nômade (Lorrana Mousinho, Luísa Reis, Ingrid Peixoto, Ana Clara Salles, Luisa Miranda, Nino Lorenzo, Victor Menescal, Roberta Bacellar, Leo Medeiros)

A DRAMATURGIA DE FINA

Roger Mello, parceiro do FIL Festival escreveu na contracapa do livro: "Será que esta é uma peça sobre o medo de ficar só? Ou será  que é sobre ficar só e ainda por cima gostar? Ficar só e ficar consigo mesmo"? Fina é tudo isso: uma menina com autoestima gigante que cresce num mundo preconceituoso. No dia de seu aniversário, prestes a abandonar sua boneca, Fina descobre seus medos e dons. O texto de Karen Acioly, encenado em Manaus pelas mãos habilidosas do diretor Tércio Silva, com supervisão do ator Gilberto Gawronski, chega ao FIL em duas versões diferentes: a primeira, antes da pandemia, e a versão mais recente, já idealizada para a internet. Serão três versões diferentes da mesma história, duas realizadas em Manaus e uma terceira online no Rio de Janeiro. Após as apresentações, os diretores se encontrarão para um profícuo bate-papo sobre seus olhares e encenações, junto à presença da autora.

Luísa Reis é professora de teatro e fundadora do Projeto Teatro Nômade junto com Lorrana Mousinho. Formada em licenciatura em Artes Cênicas pela Unirio/Estácio e Letras pela UFF, atualmente faz mestrado em Educação pela UFF, desenvolvendo pesquisa sobre dar aulas de teatro na rua e o direito de ocupação artística e política dos espaços da cidade. Atua também como produtora cultural e assistente de direção, já tendo trabalhado com artistas como Gustavo Gasparani, Márcio Vito, Susana Ribeiro, Sergio Módena e Otávio Muller.

Bruno Paiva é ator, diretor, produtor e professor de Teatro pela UNIRIO. Desde 2012, ministra oficinas de teatro na Escola Parque. Dirigiu e produziu “Em Casa”, peça não verbal de teatro experimental para crianças, “ONDENUNCA Beckett”(Mostra Sesc Cariri e representou o Brasil no CASA – London's festival of Latin American Arts, na Inglaterra). Como produtor, participou da MADferia 2020, na Espanha, realizado no complexo cultural Matadero Madrid. E atualmente se dedica ao projeto Shakespeare à la carte (peças do bardo inglês contatadas pela ótica do Teatro de Objetos).

Álbum FIL Maravilhas

  • Facebook - Black Circle
  • Tumblr - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
  • Instagram - Black Circle