• Pedro Werneck Brandão

Ateliê Sensorial de Luz: imersão no mundo dos sentidos

Pela primeira vez no FIL, projeto da artista Bia Jabor é exibido na Casa 38


Ateliê Sensorial de Luz (Foto: Isabel Côrtes)

Por Isabel Côrtes

Parte do 17º Festival Internacional Intercâmbio de Linguagens (FIL), o Ateliê Sensorial de Luz foi um dos eventos da exposição de 2019, no último sábado (12), na Casa 38. A atração era direcionada para bebês entre oito meses e três anos, a fim de construir um cenário interativo, despertando os sentidos e a curiosidade das crianças.


A artista Bia Jabor, criadora da exposição, trabalhou durante anos com a ideia do Ateliê, antes exibida na Casa Daros, fechada em 2016. Junto com sua irmã, Andrea Jabor, Bia fundou a Casa 38 e, a partir disso, passou a construir o cenário do ateliê de acordo com as salas do lugar, sempre adaptando ao espaço disponível.


Como inspiração para o projeto, a artista se baseou em um estudo italiano realizado na cidade de Reggio Emilio. Esse estudo, desenvolvido com o término da Segunda Guerra, tinha como objetivo o foco na escuta e reconhecimento das diversas potencialidades da criança, a fim de desenvolver seu conhecimento sobre as coisas. Quanto à questão das luzes, a ideia veio de um artista argentino, Julio Le Parc, caracterizado por trabalhos com arte moderna e cinética. Apesar da inspiração, Bia Jabor consegue unir ambas as ideias, construindo algo original e criativo.


Jogo de mosaicos refletidos (Foto: Isabel Côrtes)

Trabalhando na construção de um ambiente interativo, o Ateliê Sensorial de Luz é uma imersão em um cenário colorido e atraente, que desperta a curiosidade de quem o observa. Com cortinas de cores que aumentam essa sensação de imersão, a jogada de luzes e refletores criam mosaicos por toda sala, enfeitando paredes, teto e cortinas. A participação dos bebês se dá pela forma como sua atenção é atraída pelas luzes e cores do ambiente, como observado pela artista quando elaborou a ideia. Essa interação das crianças envolve seus sentidos, emoções e razão, contribuindo para o desenvolvimento e incentivo às investigações e novas descobertas.


Cortinas coloridas do Ateliê Sensorial de Luz (Foto: Isabel Côrtes)

Com um espaço agradável e decoração baseada em pequenos detalhes, a exposição se mostrou como um ótimo meio de unir o aprendizado dos bebês com a diversão. Deitados no chão observando as cortinas coloridas e as luzes refletidas, iluminados pelo brilho dos objetos da sala ou se descobrindo através de seu reflexo no espelho, pequenos olhares enfeitam e dão sentido ao Ateliê, onde encontram suas primeiras dúvidas e curiosidades em um lugar repleto de surpresas, prontas para serem exploradas.

80 views0 comments