• Ana Clara Thomaz

A sensibilidade no desenho de luz de Fernanda Mantovani


Fernanda Mantovani é a responsável pela bela iluminação da ópera Bem no meio, parte fundamental no imaginário do universo de Bem , uma vez que é a iluminação que por vezes faz ressoar as emoções propostas pela ópera. "Fazer a luz para este projeto multi linguagem, foi multi. Terceira peça sob a batuta de Karen, primeira vez dividindo a tela/palco com Rico Vilarouca, reencontrar Paulo Mazoni, Rostand Albuquerque, Kiko, Renatinho... conhecer Guilherme, Luiza, Carol... encontrar minha amiga de infância Miriam, contar com Fábio pra qualquer coisa... Teatro é encontro e após tanto tempo sem isso, foi muito emocionante dar as mãos e no ritual do MERDA, lembrar que não podemos e não queremos fazer teatro sozinhos. Obrigada a este coletivo amoroso por me dar a mão e me deixar ajudar a contar esta historia".


Fernanda é iluminadora cênica. Foi indicada ao PRÊMIO SHELL de 2016 pelo projeto de luz para o espetáculo,“Estudo para missa para Clarice”, com direção de Eduardo Wotzik, em parceria com seu irmão Tiago. Em 2012 foi indicada ao PRÊMIO SHELL e para o PRÊMIO APTR por seu projeto de luz para o espetáculo “Breve Encontro”, também de Eduardo Wotzik. E em 2014 no prêmio Zilka Sallabery, foi indicada com a luz do espetáculo “A hora do Poço ou a boca do céu” em parceria com Tiago Mantovani e com direção de Fabiano Boechat. Tem na bagagem inúmeros espetáculos que se acumularam ao longo dos 20 anos de carreira. Nesse período trabalhou ao lado de Taná Corrêa, Zé Celso, Walter lima jr., Nelson Rodrigues Filho, Domingos Oliveira e Karen Acioly. Com Karen a parceria rendeu dois espetáculos: “Benja” e “Experiência Yellow”.


Esse projeto tem como parceiros institucionais o Consulado Geral da França no Rio de Janeiro e o FIL Festival. Também conta com o patrocínio da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro e Oi.

Correalização: Oi Futuro e Borogodó Empreendimentos Culturais.





33 views0 comments

Recent Posts

See All